segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013


INTERFERÊNCIAS.
Até que ponto elas afetam o seu casamento?
Qual a hora certa de dizer não?

Rev. Renilson Ornelas
Valdelice Ornelas

Durante estes anos ministrando para casais e famílias  temos observado certo crescimento nas separações conjugais.Esse não é um tema bom para ser vivido por um casal que se une numa forte expectativa de ser feliz. Mesmo sendo bombardeado do jeito que vem sendo nos últimos dias, inclusive no Brasil, o casamento ainda faz parte da vida das pessoas e o seu lado está exatamente no que ele pode proporcionar.Uma boa convivência e o companheirismo são ferramentas úteis para a estabilidade conjugal. O mais doloroso para um casal vem sempre antes da consumação da separação, que é todo o constrangimento gerado na transição de separa ou não separa. As ofensas pessoais chegam a doer na alma; adoece as partes e gera situações traumáticas que afetam tanto físico quanto o psicológico. Neste artigo vamos falar a respeito das interferência que terminam por prejudicar seriamente a convivência matrimonial entre duas pessoas. O problema da interferência começa a ocorrer a partir do momento em que permissões são concedidas pelo marido ou pela esposa, o que de fato gerará consequências desastrosas, podendo, como já sinalizei, levar o casamento a uma total destruição. No mundo das interferências existirão muitos personagens. Vamos então ver quais são afim de se precaver de danos futuros:
a) Interferência de parentes - Entenda que parente é apenas parente e não dono de nós. Infelizmente alguns não foram devidamente educados para entender isso e separar as coisas. In terferências que não ajudam apenas contribuem para a destruição. Tratem bem a todos ao te visitar, mas fiquem de olho em suas conversas e até onde vão com determinados assuntos,ok? 
b) Interferência de amigos- Nesse meio há os amigos de faculdade, de trabalho, de lazer,enfim. Desabafar contando seus conflitos aos amigos pode ser procedimento arriscado porque você pode estar abrindo seu diário pessoal para uma pessoa que é apenas seu amigo, e que não ha nada que garanta a confidencialidade daquilo que por você mesmo(a) foi relatado.Tomemos cuidado!
c) Interferência da mamãe - O problema de muitos maridos e esposas é que mesmo depois de casados continuam pensando que está na casa da mamãe.Esse comportamento deixa claro a infantilidade de ambos, a forma dengosa como foram criados e a saudade que sentem da casa materna mesmo após o casamento.Casais que se comportam assim, sempre buscando a super proteção da mamãe nunca serão casais independentes ou realizados, pois é preciso se desprender de suas inseguranças; precisam crescer,avançar na vida, conquistar e aprender a desbravar novos horizontes.Agir assim não significa abandonar sua mãe ou desprezá-la.Chegou a hora de vocês darem chances pra sua mãe descansar.
e) Interferência da sogra-O motivo pelo qual muitos casais tanto odiarem suas sogras é culpa de ambos os lados. A relação do genro com a sogra ou da nora com a sogra deve começar bem antes do casamento. A falta de amor e inteligência de ambas as parte contribui muito para o estabelecimento das contendas que tanto ouvimos nas piadas e nos Stand-up relacionados ás sogras.A casa de vocês é um novo lar que foi construindo com suor, e precisa exalar o cheiro da paz, da compreensão e da sabedoria. Muitas sogras que pensam e agem assim são doentes e possessivas. Por outro lado, o genro ou a nora também pecam quando proíbem um ao outro de visitar suas mães.É preciso haver bom senso no tocante a isso. Se seu marido ainda tem mãe,mesmo estando ele com quarenta ou cinquenta anos,é preciso deixar o ciúme de lado.Assim como a mãe não é dona absoluta dele, você também não é, mesmo sendo esposa.O vínculo existente entre marido e mulher é de convivência e não de propriedade.  
e) Interferência de desconhecidos-
Em todas as interferências, o correto é procurar adquirir maturidade o mais rápido possível, de modo que a relação conjugal seja construída sobre a rocha e fortalecida. Fala-se hoje muito em Casamento Blindado, visando a busca de soluções para um melhor relacionamento. No entanto, termos modernos que são criados por si só não resolvem os problemas.Faz-se necessário seriedade por parte do casal , maturidade, companheirismo ,respeito e mutualidade por parte de ambos.
A HORA DE DIZER NÃO.Ao perceber que o seu casamento está prestes a descer pelo ralo, é importante estabelecer limite naquilo que as pessoas dizem a respeito dele e de seu cônjuge.Se você não fizer isso terminará dando terra ao inimigo para a destruição da felicidade de vocês dois.

SABER DIZER NÃO. Devido ao grau de amistosidade que o marido ou a esposa tem com as pessoas que se lhes aproximam, torna-se difícil fixar um The End a tais intromissões. Verdade é que tem gente que não se manca de jeito nenhum, e prejudicam fortemente o casamento dos outros. Cham essas pessoas em particular, demonstre e deixe claro o prazer de tê-las como amigas, mas fale-lhes claramente: Você está passando dos limites sobre esse e aquele ponto.

COMO DIZER NÃO. Nesses casos onde a estabilidade de meu casamento está prestes a ruir, dizer não deve ser claro direto  e objetivo, sem rodeios ou falsidades. A compreensão dependerá do nível de maturidade daquele que está sendo advertido.É um risco que terá que correr para o bem do seu casamento.Se você deixar o tempo passar e ficar protelando, essa decisão poderá ser fatal e lhe trazer sérios prejuízos.



Rev. Renilson Ornelas
Ministro do evangelho
Pastoreando com Seriedade e Responsabilidade no Modelo de Jesus Cristo
Acesse, participe,divulgue!
contatoprornelas@bol.com.br

Chat









Sem comentários:

Enviar um comentário